Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2013

Instintivo

Sentimento mais intenso
 Nem sempre é possível saber
 Nem com o "poder" do incenso
 Conseguiria reconhecer

 Não por tamanha ignorância
 Por total falta de interesse
 Somente por nem saber a fragrância
 Bem, poderia ser "finesse"

 Não saber como controlar tal coisa
 Nem ter noção de como tirar proveito
 Vem do nada?
 Por que te desperta tanta emoção?
 Por falta de respeito
 Te deixa acabada
 Emoção que talvez, não venha do coração

 Afinal, é possível
 Não digo para sempre
 Não sentir raiva, é cabível?
 Pense, mas não entre.

Feliz Ano Novo

Quero uma resposta: o que há de tão mágico em mudar de ano?   O que tem de tão mágico na virada de ano? Não digo que é só bebedeira... Não bebo.
 Talvez seja pelo prazer que o povo tem em fazer barulho.  Aquele monte de foguete, fogos e sei lá mais o quê!  É a vontade em que o outro tem em esperar uma hora e quarenta e cinco. Chegar numa festa esperando muito, sendo que você não faz diferença alguma lá.  Mas você está. É fazer papel de besta, por se sentir deslocada. Entretanto, é isso aí, feliz ano novo!, que mal começou e você já se estressou...  Se é pra dar uma dica de "Ano Novo", tenho uma:  Não tome cuidado com bandidos, com surtos de doenças, com tempestades ou com a manutenção de algum projeto, mas, se tem que tomar cuidado com alguma coisa, tome cuidado com as expectativas.  Essas sim são perigosas.  Graaaaaandes PROMESSAS!


 31/012/12

Falar de sonhos

Nada mais bonito!
 Sonhar, afinal, é desejar algo. Sonhar é acreditar que poderá, em algum momento, fazer o que realmente se quer.  Sonhos não têm, muitas vezes, conexão alguma com a realidade.  Criados, inconscientemente, para nos trazer um pouco de alegria.  Sonho de ter um computador. Sonho de viajar. Conhecer o mundo. De casar. De namorar. De ter um filho. 2 ou 3. Fazer faculdade. Passar naquele concurso. Sair da faculdade. Mandar seu chefe – maldito – se ferrar! Sonhos... Desejos. Inconsequentes?  Resta a mim, mera sonhadora, questionar (como sempre): Quem faz quem? Você fez seu sonho? O sonho te fez? Você foi fruto de um sonho? Sonho esse, bom?  Sonhos. Tão simples. Tão inocentes. Alguns bem simples outros nem em um milhão de anos se realizariam. Por erro seu talvez. Poderia ser que uma simples aceitação te levasse a outro lugar. Sonhos. Sempre pareados ao medo?