Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2019

Não te falte ingestão diária

é aquele iniciozinho de infecção
urinária ou coisa semelhante
que mixa uma ardência e pontadas
como que a pulsão de agulhas com ponta
Se fosse um pouco menos era quase prazer
mas falta paladar que se encarregue
do alívio
assim são também expectativas
Qualquer conselho útil
se quem avisa, amigo é
de trás pra frente
não te falte em ingestão diária
de líquidos (xis) 21/03/2017
sempre tive medo da poesia
as palavras me rondavam, tão tímidas quanto a mim
era aquela época absconsa por sabatinas
que falavam em salvação e vida eterna ó, pai, que tens que não tenho?
esses dias desgracentos me roubaram de mim
essas noites rubras e frias seduzem mas não são
por que, muros de concreto, me desfiz daquelas
cercas transponíveis? cercas que ajudava papai levantar à birra
ai, calejava aquelas mãos frescas no vaivém da cavadeira
nunca perguntei, pai, mas entre o nelore e o cruzado qual é mesmo a diferença? li que ela está na alimentação,
pois um grupo come mais, outro come menos
me lembrou esse mar de concretude terra arrendada
comunga quem traja bonito, é bom sujeito
se não é já peca no ato de empáfia zé
vazio meu não é de todo, mas de algum enxurrada que passa leva pra longe  substantivos concretos e abstratos silêncio que fica incomoda mais que grito de socorro vazio de referente e o canto das goteiras,  o mugir da cigarra,  a plosiva do gado amuado  renomeiam o nada envolto  tudo o que há zé

mano, el de bajo

Não é por me gabar
mas outrora eu era esplendoroso.
Hoje sou menos referente pr'um quero-quero
que referente pra ruído de motor.
Debaixo do teto salarial não cabem meus desnecessarismos.
Ouvi dizer que vão fechar mais uma escola
e o que uma escola fechada ensina?
Nobre é quem quer chamar atenção de Deus
rezando ajoelhado em caroço de milho
Eu nem rezo e nunca nem mais debulhei espiga de milho. Você reza?
Ah, passarinho, pra quem nasce e morre comendo barro
o paraíso é ao contrário. zé

inversamente oposto

vai ignorando a mim e a todo
sentimento que tenho
pensando em por fim ou talvez
transformar qualquer coisa
em algo mais vantajoso de viver
e me verter em escrita os muitos verbos
que conjuguei para sob condição
desexistir pro mundo e agora
para você
vôo e sigo o mesmo caminho
agora pelo avesso do seu crescente
e me vejo ré enganada amando
o ausente
(Isali - 12/03/2017)

o bom amor

brinda com copo de plástico  dá a qualquer hora
pede pra chegar
pergunta se melhor ir embora
ainda que deseje ouvir Fique
procura e mostra
brilho nos olhos
senta em cadeira de plástico
esquece a bebedeira ainda que memore
o gosto de vinho
diz eu te amo e entende o silêncio
todo cheiro agrada
e assiste em sonho seu sono
sobretudo
esse é descartado
com o pedido de existência noutra condição
Isali - 26 de Janeiro de 2017