Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2015

Par

Foi assim mas como meu pai, mereci Fiz por onde Era cedo, ninguém ouvia, algo seco Me atingiu A cabeça, eu ouvi deveria ser Boa e carreguei por todo tempo As três Pari Caíram Amamentei Levantei O reprodutor tava ali não sei se Era o meu ou o Que me escolheu Nasci assim Me coube a mim ou tentar ser Ou saber que poderia ser, ainda que quando soube, já não podia Não era madeira, era resistente Consistente Me afundou a mente e à tríade divina, sangrei. Morri porque Creram por mim que assim deveria ser, Devia ter aprendido que nasci pra Satisfazer Me impediram Ser o que deveria, se é que deveria Algo além Objetificada Não sabia que não podia, Morri até que passei a ser. Vivo por mim, porque a vida é Minha por direito, que escolhi Direito que dei aos meus Que hoje são Até quando nasci Era seco e doeu O dia em que me bateram com a Verdade que Escolhi enxergar, porque justo não Era que eu não vi